Somos solidários, @Franssinete !

Tenho acompanhado as notícias e os acontecimentos políticos da Capital Paraense e confesso estar a cada dia mais envergonhado com certas figuras que assombram o cenário político de Belém:

Tenho visto, por diversos momentos a chacota tomar conta do plenário da Câmara Municipal, por alguns vergonhosamente chamada "Casa de noca", onde 90% não respeita o REGIMENTO INTERNO da Casa de Leis, onde o Presidente não manda, ou melhor, é mandado por outrem que nem da diretoria é, apenas cumprindo ordens do Prefeito Municipal, e outro parlamentar, durante o discurso do colega, brinca com uma vagem de ingá e este mesmo Edil tomou uns gorós dentro do plenário durante a votação de alguns projetos importantes para a Cidade, sem contar o caso do sumiço que ele deu nos ferros da construção da casa do seu vizinho de condomínio... 




...agora, por sentir-se ofendido (como se não bastasse a ofensa que ele faz diariamente ao povo), tivemos a notícia de que a administração do Tribunal de Contas do Estado sucumbiu à pressão do vereador Gervásio Morgado e exonerou a jornalista Franssinete Florenzano da assessoria do TCE, fazendo-a retornar a seu órgão de origem, a Assembleia Legislativa.

Para quem não acompanhou o imbroglio, Franssinete, que edita o blog e o jornal Uruá-Tapera, passou a ter sua cabeça a prêmio depois de denúncias feitas contra o vereador na internet. Como de hábito entre os poderosos da terra, em lugar de responder às acusações e prestar contas ao eleitorado, Morgado optou pelo caminho mais vil: pediu a exoneração da jornalista ao presidente do TCE e a obteve, no que teve como cúmplices outros edis, inclusive o presidente da Câmara Municipal de Belém.Presto minha solidariedade irrestrita a Franssinete, fazendo minhas as palavras do professor Fábio Castro, que em seu Hupomnemata, definiu de maneira exata a questão:

A jornalista Franssinete Florenzano, editora do blog Uruá-Tapera e do jornal de mesmo nome foi exonerada do Tribunal de Contas do Estado por motivos políticos.

Franssi é uma jornalista competente, uma profissional honrada e dedicada ao seu trabalho. Há muito tempo vem sendo perseguida pelos poderes sujos do estado do Pará. Em episódios sucessivos, tem tido seu trabalho de jornalista cerceado. Dentre outros, pelo ex-deputado federal Vic Pires Franco (DEM); pelo atual governador Simão Jatene (PSDB), durante a campanha de 2010; pelo vereador Raimundo castro, presidente da Câmara Municipal de Belém e, ainda, pelo vereador Gervásio Morgado (PP). Recentemente, começou a receber ameaças anônimas.

A demissão da jornalista é resultado da pressão do vereador Morgado sobre o TCE.

Gervásio Morgado, por sua vez, não é um vereador competente. É o autor da proposta de mudar o nome da Travessa Apinagés, o autor de inúmeros atos de perdão de dívidas para com a prefeitura e o mesmo que foi fotografado bebendo cerveja em plena Câmara Municipal.

Esse tipo de situação exige que as pessoas se posicionem. Defender a Franssi é defender a sociedade, pois o trabalho dela é exemplo do jornalismo que interessa à sociedade, ao bem público, ao interesse comum. Um exemplo do jornalismo que não pactua com os interesses pessoais e empresariais que tomam a comunicação e a política, traindo, nelas, sua função elementar.

Essa situação é um abuso de poder político e nos leva a perceber o quanto o estado do Pará tem-se tornado refém desses interesses e de seus poderes sujos.

Não temos jornais, rádios ou TVs, mas temos a internet - e justamente é isso que tem incomodado a gente como Gervásio Morgado. Façamos uso dela: de nossos blogs, do Twitter, das redes sociais, enfim, para ajudar a evidenciar a maneira como as elites paraenses, na sua covardia, ganância e arrogância - sim, e na sua ignorância, é claro - têm abusado de prerrogativas públicas e do poder econômico para cometer injustiças e arbitrariedades.

Hey there, I'm Loreo!

Share This Post