Internauta denuncia falta de higiene no Portal da Amazônia.

Portal da Amazônia é um projeto da Prefeitura Municipal de Belém, financiado com recursos Estaduais, Federais e até mesmo internacionais, que foi inaugurado há muito pouco tempo em nossa Capital, com fortes denúncias de desvio de verba, agora o que assombra o Portal são as denúncias de falta de higiene nos quiosques instalados no local.


A apresentação do projeto, segundo a PMB é o seguinte:






O Portal da Amazônia é composto por dois grandes projetos: a macrodrenagem da Estrada Nova e a Orla de Belém. Com a execução completa do projeto, Belém ganhará uma orla com mais de 6 quilômetros de extensão que será fundamental para o desenvolvimento do turismo na cidade, gerando emprego e renda. 

O Portal da Amazônia é um investimento na saúde, no meio ambiente, na geração de emprego, na qualidade de vida e, acima de tudo, no resgate da dignidade de quem vive em condições de extrema pobreza e exclusão social. O trecho da orla da Estrada Nova terá um percurso de seis mil metros, entre o Mangal das Garças e a Universidade Federal do Pará. 

O Portal está inserido no grande Projeto de Macrodrenagem da Bacia da Estrada Nova, que irá beneficiar e mudar, para melhor, a vida de mais de 200 mil pessoas.

O projeto Portal da Amazônia, em desenvolvimento desde 2005, deverá mudar a frente da cidade, abrindo um grande “janela” para o rio, melhorando o saneamento da área e incrementando o turismo. Para execução completa de toda a obra, a prefeitura tem buscado parcerias com os governos Federal e Estadual, além de recursos, através de financiamento do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), e apoio da iniciativa privada. 

O projeto prevê a abertura da orla até a Universidade Federal do Pará, com seis pistas, de 70 metros de largura, com área de passeio, estacionamento e ciclovia. Parte do espaço deverá ser reservado para área de lazer, incluindo quadras de esporte, áreas com equipamentos de ginástica, restaurantes e quiosques, nos moldes das orlas construídas nos grandes centros, como Recife e Rio de Janeiro.

Com o projeto, a prefeitura pretende fazer com que Belém desponte definitivamente para o turismo com objetivo de gerar emprego e renda, ao lado de outros atrativos turísticos como a Estação das Docas, Casa das Onze Janelas e o Mangal das Garças.



Dentro do projeto, como pode ser observado na descrição feita pela PMB, estão inseridos espaços para comercialização de alimentos, os "Quiosques". As empresas que arrendaram, de acordo com denúncias, não estão fazendo jus ao investimento feito com o dinheiro público e tampouco retribuindo ao povo o serviço com a qualidade mínima esperada para um ponto turístico da cidade, caso que deveria ser apurado pela vigilância sanitária.

Vejam a Denúncia feita esta manhã pelo internauta Fábio Jorge.







Você passeia pelo Portal da Amazônia, toma uma cerveja em um daqueles quiosques que testam verdadeiramente a paciência de qualquer um que ouse ser atendido e, logicamente, uma hora precisará ir ao banheiro.
Chegando na porta, você, homem, dá de encontro com uma senhora de idade saindo do reservado. "Será que eu entrei no banheiro errado?". Não! Só tem aquele mesmo aberto, o outro está trancado e s

em a placa "feminino" na frente, alguém arrancou (imagina-se o propósito e o que deve ter lá dentro).
A sensação é de estar entrando em uma piscina: é água para todos os cantos... O motivo? Um freezer patrocinado abarrotado de gelo que o bar/restaurante que está servindo você utiliza! DENTRO DO BANHEIRO.
Mais uma surpresa: o espaço é limitado dentro do reservado porque ali o mesmo bar/restaurante utiliza como DEPÓSITO DE GUARDA-SOL E LIXEIRAS.
O que resta? O reservado para deficientes que, no auge da imundice, está todo marcado de sangue de menstruação (me reservei ao direito de não registrar esse tipo de coisa).
Isso está ocorrendo em todas as barracas da orla, segundo os fiscais da SECON que encontrei la fora reclamando exatamente dessa situação vexatória que todos nós usuários do espaço somos obrigados a vivenciar.
Vê-se nitidamente que o problema não está só na falta de higiene do povo sem consciência e educação, mas principalmente pelo egoísmo dos proprietários dessas barracas que estão utilizando espaço sanitário como almoxarifado de materiais de utilização do bar e, mais absurdo ainda, como depósito de gelo!
O QUE ESTÁ ACONTECENDO?
ESSAS PESSOAS MERECEM PERDER A CONCESSÃO DO LOCAL!
Fonte da denuncia: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151105917022136&set=a.455712467135.248162.566137135&type=1&relevant_count=1 


Departamento de Vigilância Sanitária
Endereço: Travessa da FEB nº 77 entre 25 de setembro e Almirante Barroso
Bairro: São Brás
Fones: 3266-8666/3266-1568
Gerente: Fátima Castro

Hey there, I'm Loreo!

Share This Post