Além da escola, lugar de criança é no Clube (do pesquisador mirim)

Imagine uma atividade que estimula crianças e adolescentes para a prática da ciência. E se essa proposta formasse grupos considerando o interesse dos alunos pelos temas e a receptividade às atividades propostas?Para ser ainda melhor, considere um universo educacional no qual a motivação, a liderança e a cooperação para trabalho em grupo fossem importantes?Pelo que li o Clube do Pesquisador Mirim 2015, projeto do Serviço de Educação (SEC) do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCTI), tem esta proposta.
Promotor da iniciação científica, o clube oferece 100 vagas a estudantes do ensino público e privado da região metropolitana de Belém. Estão abertas cinco turmas para alunos que estejam cursando entre o 4° a 9º anos do ensino fundamental e o 1º e 2º anos do ensino médio. No momento da inscrição, os candidatos a pesquisadores mirins devem apresentar o boletim escolar do ano anterior para comprovar o seu vínculo com o sistema oficial de ensino.Gostou e mora em Belém? Então corra! Os interessados em mergulhar no universo da ciência podem se inscrever até o dia 10 de abril, na Biblioteca Clara Galvão, localizada no Parque Zoobotânico do museu. O parque está situado na Avenida Magalhães Barata, 376, centro da capital paraense. Os novatos participarão de uma seleção, entre os dias 14 e 17 de abril, que consiste em duas fases: entrevista e atividades em grupo. A avaliação considera o conhecimento sobre o MPEG, o Clube do Pesquisador Mirim, o assunto de sua turma e a disponibilidade para participar das atividades do Clube. A segunda fase da seleção será feita em trabalho de equipes.Este ano as turmas do Clube trabalharão os seguintes temas: “Conhecendo o Museu Goeldi”, “Resíduos Sólidos Urbanos”, “Peixes da Amazônia”, “Relações Ecológicas” e “Bancando o Arqueólogo”. 
Fonte: Blog @avidaquer

Querem entender um pouco?
"...No ano de 2000, um grupo de estudante integrantes do Projeto Clube do Pesquisador Mirim realizou uma pesquisa com levantamento bibliográfico e entrevistas sobre as principais lendas relacionadas a plantas e animais amazônicos. Como resultado de suas pesquisas, foi elaborada a cartilha Fauna e Flora em Lendas, que apresenta descrição e ilustrações representando as principais lendas recolhidas. Em 2002, o mesmo grupo acrescido de outros integrantes, a partir daquele trabalho, concebeu uma exposição e edita agora a cartilha produzida em 2000, com algumas modificações."
Esse é o texto inicial da cartilha que tive a imensa surpresa e satisfação de encontrar publicada na internet, no site do Museu Paraense Emílio Goeldi e confesso que fiquei emocionado ao encontrar meu nome nela!
A cartilha foi fruto de um trabalho árduo de uma equipe que estava altamente engajada em mostrar o resultado de sua pesquisa. Por incrível que pareça, o que menos tinha nessa equipe eram profissionais adultos! Formada em sua maioria por crianças inscritas no projeto (os demais membros eram os instrutores - funcionários/pesquisadores do MPEG). As crianças eram estudantes de diversas escolas públicas e particulares de Belém... um grupo heterogêneo, unido pelo interesse comum de buscar conhecimento!
A história é muito longa e gostosa de lembrar! foram muitos momentos de felicidade e curiosidade (sem contar com o medo do curupira que protege o parque zoobotânico a partir das 18h)... o despertar da busca pelo conhecimento, a iniciação científica, o trabalho em equipe, o incentivo à leitura, a interação com a natureza, o cuidado com nossa fauna e flora, a amizade com os profissionais que trabalham nos projetos de pesquisa e dos que cuidam do funcionamento do MPEG... a história do Museu Goeldi... a experiência que tivemos foi única... e os amigos, são muitos!
Qualquer dia desses eu conto algumas histórias pra vocês... tipo a história de um grupo de crianças, 1 instrutor, 1 veterinário, 1 fotógrafo e 1 bacia cheia de cobras no meio do parque zoobotânico! ...imaginem! kkkkkkkkkkk

;-)

Hey there, I'm Loreo!

Share This Post