De olho nas malas - Anac propõe o fim da franquia de bagagens.

A proposta da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de acabar, gradualmente, com a franquia de bagagem despachada nos voos domésticos será tema de audiência pública no Senado. A Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) aprovou, na quarta-feira (16), requerimento para ouvir representantes do órgão regulador sobre essa e outras propostas de mudanças nas regras de direitos dos passageiros.

#Notas do blog:
01- O primeiro ponto a esclarecer é que, atualmente, as companhias aéreas são obrigadas por lei a oferecerem as franquias de bagagem. Então, todo o voo doméstico (nacional) é garantido ao passageiro levar uma mala de até 23Kg, já para o vôo internacional, que saia do Brasil, é garantido ao passageiro levar até duas malas de 32 kg cada, exceto para países da América do Sul, que permitem apenas uma mala de até 20 kg.
02- Além da bagagem despachada, o passageiro tem direito a levar consigo uma bolsa, mala ou mochila com pertences pessoais e itens de valor, como dinheiro, aparelhos eletrônicos, remédios, etc. É a chamada bagagem de mão. Na hora do check-in, essa bagagem pode ser pesada ou medida pela companhia, conforme os limites estabelecidos pela lei. Os limites da bagagem de mão são definidos por critérios de segurança para atender ao peso máximo de decolagem do avião e ações preventivas de segurança a bordo. Em voos domésticos, a bagagem não pode ser maior que 115 cm (considerando altura + comprimento + largura) e o peso máximo é de 5 kg. 

De acordo com a proposta da Anac, submetida a consulta pública, as empresas não serão mais obrigadas a oferecer uma franquia de bagagem para os voos domésticos, que hoje é de 23 quilos. A partir do segundo ano de publicação da norma (2018), as companhias poderão estabelecer livremente sua política sobre bagagem, inclusive cobrar pelos volumes despachados de acordo com o mercado.

No caso da bagagem de mão, a franquia, que é hoje de cinco quilos no máximo, passaria a ser de dez quilos, de forma imediata.

Já para os voos internacionais, a franquia, que hoje é de dois volumes de 32 quilos, passará a ser de dois volumes de 23 quilos, a partir da vigência da resolução. Um ano após a publicação do regulamento, a franquia será de um volume de 23 quilos. Do segundo ano de publicação da norma em diante, haverá a desregulamentação total para as franquias de bagagem, que passarão a ser estabelecidas livremente pelas empresas.

A Anac apresentou ainda outras propostas de mudança nas Condições Gerais de Transporte (CGT), como redução do prazo de reembolso quando houver cancelamento da passagem aérea e a compensação imediata por extravio de bagagem.

O debate, que ainda será agendado, foi proposto pelo presidente da CI, senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN).

Fonte: Agência Senado

O que vocês acham desta proposta? 
Deixem suas opiniões nos comentários!


 Simule e Contrate

Muito se fala de CRM hoje em dia. Mas o que significa exatamente?

CRM – Customer Relationship Management (ou Gestão do Relacionamento com o Cliente, em português) – é uma abordagem que coloca o cliente como principal foco dos processos de negócio, com o intuito de perceber e antecipar suas necessidades, para então atendê-los da melhor forma. (fonte: Wikipedia “Customer Relationship Management”)



Ok, você entendeu o conceito. Mas o que é CRM na verdade?


Na verdade, CRM em sua essência, é uma estratégia de negócio com o foco no cliente. Ou seja, as ações da empresa ficam voltadas para as necessidades dos clientes, ao invés dos próprios produtos. Engloba as áreas de marketing, vendas e serviços de atendimento.

Não confunda a estratégia com os sistemas de CRM (as soluções tecnológicas), que permitem a aplicação mais eficaz da estratégia de CRM. Para obter as informações, os sistemas são divididos em dois tipos (blocos): o de aquisição do conhecimento e o de interação.
Os sistemas de interação

Entre os sistemas de interação, por exemplo, estão os sistemas de automatização dos canais de atendimento (Call Center), sistemas de frente de caixa (PDV’s) e o Força de Vendas (SFA – Sales Force Automation). Para você entender melhor, os SFA’s (Força de Vendas) são aqueles usados pela equipe comercial, para acessar os produtos, registrar as vendas, agendar a entrega, etc.
Os sistemas de aquisição do conhecimento

Já os de aquisição do conhecimento, são aqueles usados para analisar os dados que foram coletados pelo Call Center, pelo frente de caixa, pelo Força de Vendas, enfim, dados de transações, como vendas realizadas e de relacionamento, como um atendimento feito através do SAC. Esses dados são processados e apresentados no formato de relatórios e gráficos para a tomada de decisões.

A empresa pode utilizá-lo para segmentar clientes, planejar campanhas e ficar por dentro dos processos de vendas e relacionamento. Quando são analisados os dados de atendimento, o pessoal têm acesso ao histórico de cada cliente, quais casos estão em andamento e quais foram finalizados, quem fez o último atendimento, se os clientes estão satisfeitos com os produtos / serviços oferecidos e a eficiência da equipe de suporte.

Aplicado nas vendas, é possível analisar a abrangência dos produtos / serviços nas áreas de atuação da empresa, fazer um gerenciamento territorial (qual local aceita melhor o produto), gerenciar os melhores contatos e oportunidades de negócio, melhorar as etapas de vendas e identificar vendas casadas. As vendas casadas são aquelas em que um produto pode ser vendido com outro complementar.

Um caso real no uso de sistemas de CRM


Provavelmente você já passou por algo parecido com isso: você está assistindo televisão normalmente, quando de repente o sinal cai. Com certeza essa é um situação nada agradável, mas acontece! Para melhorar o cenário, vou ilustrar a situação da forma mais positiva possível.

Para resolver o problema, primeiro você confere os cabos, vê se tudo está conectado corretamente e percebe que aparentemente o aparelho está funcionando. Como não encontrou nenhum problema, você liga na operadora de TV por assinatura para buscar a solução:

Atendente: MaisCanais, Diego Di boa tarde. Em que posso ajudá-lo?

Você: Boa tarde, estou sem o sinal da TV por assinatura.

Atendente: Ok, pode confirmar os dados por favor?

Nesse momento, você confirma seus dados e ele gera o tal número de atendimento:

Atendente: Pode anotar o número de atendimento, por favor? É 11002233.

Daí pra frente, o histórico do atendimento já é registrado no sistema de CRM deles. Sim sr., seu atendimento será utilizado (ou pelo menos, deveria) para que a operadora melhore os serviços prestados. Na vida real, geralmente você aguardaria mais uns 20 minutos na linha até conversar com um técnico. Mas vamos ser otimistas, pensando que isso demorou apenas 15 minutos…

Técnico: Os cabos estão conectados? Ok. Irei fazer uma análise em sua conexão.

Mais 10 minutos…

Técnico: Realmente havia um problema no sinal. Estará normalizado dentro de pouco tempo.

Bom, o serviço volta a funcionar normalmente e em alguns dias, o pessoal da operadora entra em contato. Dessa vez, para saber se você ficou satisfeito com o atendimento e o suporte técnico prestado. Esses dados junto ao histórico do atendimento, são armazenados em um banco de dados onde serão processados para que sejam feitas análises de perfis dos clientes, da eficiência do atendimento e até mesmo da qualidade do serviço oferecido (já que eles estão recebendo muitos casos de problemas no sinal).

Fonte: Agendor Blog
Escrito por
Gustavo Paulillo

#CrisePolítica - A vida imita a arte: abertura de House of Cards ganha versão brasileira


Diante dos acontecimentos recentes no Brasil, especialmente com a nomeação do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil, não demorou para que os fãs da série House of Cards encontrassem uma relação entre a política nacional e a trama da Netflix. 

Um vídeo que começou a circular na internet nesta quinta-feira brinca com a comparação ao exibir uma versão brasileira da abertura da série. Mas, em vez de cenas da cidade de Washington, o clipe mostra pontos de Brasília. Além disso, no lugar dos nomes de atores como Kevin Spacey, há uma lista dos parlamentares envolvidos em escândalos, como o próprio Lula, Delcídio do Amaral, Renan Calheiros e Eduardo Cunha. Os créditos ainda substituem as categorias de produtores e diretores pelas de construtoras (identificadas como OAS, Odebrecht, entre outras); de juiz (no caso, Sergio Moro); e de operação (Lava Jato).

Confiram o vídeo:


Fonte: Veja.com

#CrisePolítica - Conselho de Jovens Empresários do Pará - CONJOVE publica nota de posicionamento.

Nota de posicionamento do Conjove diante dos mais recentes acontecimentos políticos:

Publicado por Conjove Acp em Quinta, 17 de março de 2016

#SaveTheDate - Feirão do Imposto 2016 já tem data confirmada: 11/MAIO



A 14ª edição do Feirão do Imposto será realizada no dia 21 de maio de 2016, em mais de 100 cidades brasileiras. A divulgação da data foi feita no dia 1º de fevereiro pela Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje). Até 2015, a instituição realizava dois eventos por ano para alertar e conscientizar a população sobre a alta carga tributária que incide em produtos e serviços no Brasil – Dia de Respeito ao Contribuinte e da Liberdade de Impostos (DLI), sempre no mês de maio, e o Feirão do Imposto, em setembro. A partir deste ano, a proposta da Conaje é unir esforços na realização de apenas um evento (Feirão do Imposto) e, com isso, alcançar um maior número de pessoas, além de contribuir para a efetiva e transparente aplicação dos tributos em benefícios para a sociedade.

O projeto seguirá a mesma estrutura, com ações e atividades de conscientização como venda de combustíveis sem impostos, comercialização de itens da alimentação sem tributos, exposição de produtos com e sem valor de impostos, sorteio do direito de compra de carros, motos e eletrodomésticos sem a incidência de tributos, corridas, happy hour sem impostos, instalação de impostômetro etc. Segundo o presidente da Conaje, Fernando Milagre, a meta também é aumentar o número de atividades e envolver novos parceiros no projeto para revelar ao público qual é a realidade do sistema tributário brasileiro e o impacto na vida de cada pessoa.

Conscientização

No ano passado, o Feirão do Imposto teve venda de gasolina, remédios e produtos sem impostos, corrida contra os tributos, carro guinchado nas alturas, exposição de itens com os valores sem e com a carga tributária e instalação de impostômetro em locais de grande circulação de pessoas. Em Bagé (RS), um VW Golf foi pendurado em um guindaste, com a indicação do valor que o veículo custaria sem a incidência de impostos. A faixa informava o preço com impostos – R$ 82.790,00 -, e o valor do veículo sem a carga tributária, que seria de R$ 40.018,00 (uma diferença de R$ 42.772,00, o que daria para comprar outro veículo da mesma marca). Entre os impostos que incidem no veículo estão PIS, Confins, IPI e ICMS. Em São Paulo (SP), na sede da Federação da Indústria do Estado (Fiesp), na Avenida Paulista, foram expostos produtos para revelar os impostos que integram o preço de itens como água mineral (37%) e shampoo (44%).

Já na cidade de Vila Velha (ES), quem visitou o Shopping Vila Velha pode comprar produtos sem a tributação, em uma loja montada no local. A mesma ação ocorreu em Palmas (TO), onde vários produtos foram comercializados sem a carga tributária. Em Marabá (PA), houve ações sociais, como doação de sangue, e venda de gasolina, cerveja e até retroescavadeiras e piscina sem impostos.

Feirão do Imposto

O projeto Feirão do Imposto foi criado em 2003, na cidade de Joinville (SC) pelo Núcleo de Jovens Empresários da Associação Empresarial de Joinville (ACIJ), que mobilizou a sociedade civil joinvilense para informar e, sobretudo, educar a população a respeito do quanto se paga em impostos. A partir dessa mobilização, o Feirão se tornou uma ação nacional, desenvolvida anualmente pela Conaje para conscientizar se quanto se paga em impostos e acompanhar a destinação dos tributos.

Ficha técnica

14ª edição do Feirão do Imposto
Data: 21 de maio de 2016
Local: Mais de 100 cidades brasileiras
Facebook: Conaje
Instagram: Conajeoficial
Twitter: @conaje
#Conaje #conajeoficial #empreendedorjovem #FeiraodoImposto2016

Anonymous declara guerra contra Donald Trump e ameaça sabotar sua campanha




Nesta segunda-feira (14), o grupo ativista Anonymous publicou um vídeo em seu canal do YouTube em que convoca hackers de todo o mundo a se unirem contra a candidatura de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. No vídeo, a pessoa não identificada utilizando a característica máscara do Guy Fawkes, usada pelo grupo, e voz alterada por computador ameaça “desmantelar a campanha” política do candidato com a promessa de derrubar seus websites e hotsites em larga escala. Em dezembro do ano passado, o grupo anunciou oficialmente o início da guerra contra Trump após ele ter dito que os muçulmanos deveriam ser banidos dos Estados Unidos.

O vídeo também promove a hashtag #OpTrump (abreviação de “Operação Trump”), pedindo para que qualquer pessoa usuária da internet divulgue o vídeo e a hashtag em seus perfis e canais, difundindo a mensagem. 

Confira a transcrição do vídeo na íntegra, em tradução livre: 

“Caro Donald Trump, nós o estamos observando há bastante tempo e o que vemos é profundamente perturbador. Sua inconsistente campanha de ódio não somente chocou os Estados Unidos da América como também chocou todo o planeta com suas péssimas ações e ideias. Você diz o que sua audiência deseja ouvir, mas na verdade você não representa nada exceto sua ganância e poder.
Nós precisamos de vocês [demais hackers espectadores do vídeo] para derrubar seus websites, para pesquisar e expor o que ele não deseja que o público saiba. Nós precisamos desmantelar sua campanha e sabotar sua marca. Nós estamos encorajando toda pessoa capaz com um computador a participar dessa operação. Isso não é um aviso, isso é uma declaração de guerra total. Donald Trump - é tarde demais para esperar por nós”. 

Em uma outra mensagem, o grupo Anonymous listou uma quantidade de websites já escolhidos como alvos iniciais, incluindo o domínio www.trump.com. A lista também divulga dados que supostamente pertencem ao político, como o número do seguro social, número de telefone pessoal e os contatos de seu agente e advogado.






Fonte: Cana Tech - http://canaltech.com.br/noticia/hacker/anonymous-declara-guerra-contra-donald-trump-e-ameaca-sabotar-sua-campanha-59915/

[Belém] Decreto municipal inclui Food Truck na categoria de comércio de alimentos em vias e áreas públicas.



Após aproximação com o setor e a realização de parceria com o Sebrae/PA para estimular os empreendedores de comida de rua, a Prefeitura de Belém acaba de regulamentar os chamados Food Trucks, tendência que ganha espaço na capital paraense. O decreto nº 85.056/16, publicado no dia 1º de março, no Diário Oficial do Município, ordena a operação da atividade nos espaços públicos de Belém.

O Food Truck foi incluído na categoria de comércio de alimentos em vias e áreas públicas, prevista na Lei Municipal nº 7.055/77, que dispõe sobre o Código de Posturas e disciplina os locais, horários de estacionamento e licenciamento dos veículos de venda de alimentos, que serão fiscalizados pela Secretaria Municipal de Economia (Secon).

Segundo o presidente da Associação de Comidas de Rua, Food Trucks e Trailers da Região Metropolitana (Ascor), Antônio Carlos de Oliveira, “esse decreto significa o reconhecimento da categoria e vai nos ajudar na organização dos circuitos que fazemos nos locais públicos, como nas praças Brasil, Batista Campos, Horto Municipal e Ver-o-Rio”.

De acordo com a legislação, os veículos automotores deverão estar licenciados pelo Departamento de Trânsito do Pará (Detran-PA) e devidamente cadastrados na Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob). Poderão ser comercializados nas vagas de estacionamentos autorizadas pela Prefeitura de Belém, alimentos preparados e produtos alimentícios industrializados prontos para consumo, obedecendo a legislação exigida pela vigilância sanitária.

“Entendemos a importância desse setor para o desenvolvimento da economia, turismo e gastronomia local. Por isso, a regularização desses trabalhadores vai permitir maior contribuição por parte da Prefeitura de Belém para trabalhar ao lado da categoria, no que se refere à permissão de uso dos espaços públicos, mapeamento das atividades e participação das ações”, avaliou o secretário municipal de Economia, Fábio Lucas Moreira.

LEGALIZAÇÃO - O primeiro passo para a execução do decreto será a formação da Comissão de Acompanhamento (Comac) – constituída pelas secretarias municipais de Economia, Saúde, Meio Ambiente, Saneamento, Urbanismo, além da Semob – a qual será dirigida pela Secon.

Posteriormente, a Comac procederá a realização de estudos para a fiscalização dos pontos de atuação, horários de funcionamento e números de vagas de estacionamento para os Food Trucks. “Após essas definições, a Comissão fará o Chamamento Público para que os interessados em ter o veículo legalizado apresentem propostas à secretaria de Economia”, completou o titular da Secon.


Texto: Roberta Corrêa
Foto: Alessandra Serrão - NID/Comus / Neldson Neves
Secretaria Municipal de Economia (SECON)

Você conhece o perfil dos taxistas brasileiros?



A Confederação Nacional do Transporte divulgou sua primeira Pesquisa CNT de Perfil dos Taxistas, com informações gerais sobre o profissional e a atividade. Foram entrevistados 1.001 taxistas nas principais regiões metropolitanas de 12 Unidades da Federação.

A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 14 de novembro de 2015 em locais de grande fluxo de taxistas, como regiões centrais, aeroportos, estações rodoviárias, de metrôs e de trens urbanos. Os taxistas responderam questões sobre saúde, rotina de trabalho, segurança e concorrência com o Uber, entre outros assuntos.

A maioria (94,9%) acredita que houve diminuição na demanda por seus serviços no ano passado. Para 43%, o motivo foi a crise econômica do país e 30,3% consideram que a causa seja consequência do transporte clandestino/ilegal. Mais de dois terços (72%) são taxistas há mais de cinco anos e 93,9% possuem veículos com até seis anos de uso. A maior parte (45,7%) concluiu o ensino médio.

Entre os pontos positivos citados em relação à profissão, 62,3% alegam ter autonomia para definir o horário de trabalho e 40,7% gostam da flexibilidade da jornada. Mas 74,6% consideram a profissão perigosa e 51,4%, desgastante. Ao comentar sobre os riscos, 28,5% disseram ter sido vítimas de assalto pelo menos uma vez nos últimos dois anos.

Os taxistas comentaram o que pensam sobre o aplicativo Uber. Entre os 92,1% que já ouviram falar desse serviço de transporte de passageiros, 72,0% disseram ser contra a legalização. 59,9% consideram a possibilidade de oferecer um serviço diferenciado em seu táxi para torná-lo mais vantajoso na concorrência com o Uber. Nas cidades onde o Uber opera (Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo), 68,6% dos taxistas perceberam impacto negativo em sua atividade devido a esse serviço, pois houve diminuição de passageiros.

A renda mensal líquida dos entrevistados é de R$ 2.675,42, e eles afirmaram gastar, em média, mais de R$ 1.300 por mês com combustível. Ao relatar os entraves da profissão, a burocracia para obter a permissão é apontada por 41,7% como o principal problema para se tornar taxista e 57,8% defendem a maior fiscalização ao transporte clandestino/ilegal.

CONCLUSÃO


A pesquisa mostra pontos positivos da profissão de taxista, como a autonomia de definir o horário de trabalho, a flexibilidade para essa escolha, a estabilidade e a rentabilidade financeira. Entretanto, para o presidente da CNT, Clésio Andrade, há alguns pontos negativos que precisam de soluções urgentes. Mais de um quarto dos taxistas já sofreram assalto pelo menos uma vez nos últimos dois anos. A competição com o Uber também preocupa a categoria, que já percebe a redução do número de passageiros.

Outro problema identificado é a situação da economia, pois a maior parte observou queda de demanda em 2015 devido à crise econômica. Além desses problemas, também foram apontados o impacto do alto preço do combustível na atividade e o excesso de burocracia para obter a permissão para exercer a profissão.



Clique aqui para acessar a íntegra

Clique aqui para acessar o resumo


Clique aqui para acessar o release



Fonte: Agência CNT de Notícias